Alepe relembra 40 anos da greve que enfrentou a ditadura em Pernambuco

Os 40 anos da Greve dos Professores de 1979 foram relembrados ontem (12) na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Iniciada no dia 25 de maio, a greve foi realizada contra a vontade das direções sindicais da época e lançou as bases para a nova organização sindical que surgiria com a retomada da democracia.

A greve dos professores da rede particular chegou ao fim em 5 de junho de 1979 após a conquista de um aumento de 58% nos salários dos docentes. Enquanto isso, a paralisação da rede pública se alongou por mais um mês, com professores em vigília na frente da Secretaria de Educação para pressionar o Governo, mas terminou com as reivindicações dos docentes não sendo atendidas.

“O fato de termos aqui vários parlamentares que vieram do movimento sindical demonstra como os sindicatos têm a compreensão de que precisam trazer as suas bandeiras para as esferas institucionais, e fazer o direito dos trabalhadores ser, de fato, respeitado”, afirmou a deputada Teresa Leitão.

Além de parlamentares, o evento ainda contou com participação de representantes do Sindicato dos Professores de Pernambuco (Sinpro), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil (CTB) e da Confederação Nacional de Trabalhadores da Educação (CNTE).  

Deixe uma resposta