Canhotinho e Angelim devem retirar das ruas propagandas eleitorais antecipadas

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou a todos os pré-candidatos, agentes políticos, dirigentes partidários, eleitores e empresas de Angelim e Canhotinho que retirem de imediato as propagandas eleitorais atualmente existentes, independentemente de quem for responsável pela divulgação ou de quem for beneficiado.

O MPPE ainda alerta que é preciso se abster de realizar qualquer tipo de propaganda eleitoral antes de 16 de agosto de 2020, ano em que ocorrerão eleições para prefeito e vereadores. A violação sujeita os responsáveis pela divulgação e os beneficiários à multa de R$ 5.000,00 a R$ 25.000,00 ou equivalente ao custo da propaganda.

“São consideradas propagandas eleitorais, dentre outras, as pichações, pinturas, adesivos, faixas, placas, cartazes, outdoors, mensagens em rádios comunitárias ou via internet que contenham, isolada ou conjuntamente, o nome, apelido, iniciais do nome, símbolos, cores, mensagens ideológicas ou de promoção pessoal e felicitações daquelas pessoas que publicamente já se sabem pré-candidatos”, explicaram as promotoras Ana Cristina Barbosa Taffarel e Ana Jaqueline Barbosa Lopes.

Deixe uma resposta