João Paulo repudia declarações de procuradores federais sobre familiares de Lula

Declarações de procuradores federais da Força-Tarefa da Lava Jato sobre a morte de familiares do ex-presidente Lula foram repudiadas pelo deputado João Paulo em discurso na Reunião Plenária desta quinta (29) da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

Conforme chats privados revelados no último dia 27, integrantes do Ministério Público Federal (MPF) ironizaram e levantaram suspeitas sem provas sobre a morte da ex-primeira-dama Marisa Letícia. Eles também questionaram manifestações de luto de Lula pelas mortes do seu irmão, Genival Inácio da Silva, e do neto, Arthur Araújo Lula da Silva.

“Ficamos estarrecidos com a postura dos procuradores. Eles trataram de forma abominável a perda de familiares do presidente Lula. Escárnio, desrespeito e deboche marcaram a postura de autoridades que deveriam se comportar com recato e dentro da legalidade”, declarou João Paulo. O comunista destacou algumas das declarações reveladas pela imprensa, como a do procurador Januário Paludo, que teria dito que “o safado só queria passear”, em referência à saída do ex-presidente para o velório do irmão.

João Paulo ainda afirmou que nunca houve tanta perseguição e desrespeito a um líder político. “Já ficou claro que sua condenação ocorreu sem provas e com objetivo de barrar a candidatura dele. A falta de empatia e de respeito diante da dor de um ser humano revelada nos diálogos mancha a história e a atuação do MPF, uma instituição que presta grandes serviços à democracia brasileira”, avaliou.

Deixe uma resposta