Profissionais de Educação de Tabira se mobilizam contra perseguição a sindicalista

A Prefeitura de Tabira não aceitou a derrota no campo jurídico e apelou para a esfera administrativa em mais uma tentativa de enfraquecer o movimento sindical.

Após ser obrigada pela Justiça a garantir o direito à professora Dinalva Lima de se licenciar para desempenhar as funções de diretora geral do Sinduprom, a gestão do prefeito Sebastião Dias abriu processo administrativo contra a profissional, que poderá ser demitida do cargo conquistado há mais de três décadas em concurso público.

A abertura do processo administrativo teve como base uma suposta denúncia de que a professora estaria colocando substituto em sala de aula para desempenhar as atividades classistas sem autorização da Secretaria de Educação.

O jurídico do Sinduprom afirma que a ex-secretária Aracelis Amaral e a atual secretária Lucia Santos autorizaram a professora a colocar substituto para cumprir com os compromissos sindicais, bem como que há comprovação das autorizações por meio de e-mails e áudios, além de depoimentos testemunhais.

Indignados com mais uma investida contra a dirigente, profissionais da Rede Municipal de Ensino organizam um protesto. O ato público ocorrerá na manhã desta quarta-feira (20) antes da analise do processo administrativo. A concentração será na frente da Câmara de Vereadores.

Deixe uma resposta