Afogados da Ingazeira abre agendamento para novas faixas etárias e pacientes com comorbidades

A Prefeitura de Afogados recebeu mais 945 da vacina Astrazeneca. Como todas as pessoas vacinadas com a primeira dose já haviam recebido a segunda dose da Astrazeneca, todo esse novo estoque será destinado à vacinação em primeira dose dos grupos etários de 60 anos, população urbana e rural, e de 61 e 62 anos, população rural.

O agendamento já está liberado no site ou aplicativo para esses públicos. Em anexo, estamos enviando um card com os links para ambas as alternativas de agendamento. Basta clicar nos ícones “clique aqui” para ser redirecionado, ou para o site, ou para a loja de aplicativos do google, onde o aplicativo “vacina já Afogados” pode ser baixado no celular. Não há formato de aplicativo disponível para o sistema operacional IOS (iphone).

Com essas novas doses, a Prefeitura também irá vacinar pacientes entre 18 e 59 anos, com comorbidades, na zona urbana e rural. São pacientes com síndrome de down, pacientes que fazem hemodiálise, pacientes que vivem com HIV, gestantes e puérperas (até 45 dias após a gestação) com comorbidades.

Os pacientes que vivem com HIV irão receber a vacina no CTA/SAE, localizado próximo à rodoviária. Já as gestantes de alto risco, irão receber a vacina no centro de saúde da mulher, da criança e do adolescente, situado à Rua Pedro Pires.

Também serão vacinados os pacientes transplantados e os que têm câncer, na faixa etária entre 55 e 59 anos, na zona urbana e rural. A partir da chegada de novas remessas de vacina, iremos anunciar a vacinação para outras comorbidades, na faixa etária de 55 a 59 anos.

“O agendamento via aplicativo ou site só será necessário para os pacientes sem comorbidades, nas faixas etárias de 60, 61 e 62 anos. Os pacientes que tem comorbidades não precisarão fazer o agendamento. Temos o cadastro de todos, e nossas equipes irão à casa das pessoas, proceder a vacinação. Com exceção das gestantes de alto risco e dos pacientes com HIV, que serão vacinados no centro de saúde da mulher e no CTA, respectivamente,” declarou o Secretário Municipal de Saúde, Artur Amorim.

Deixe uma resposta