Náutico e Retrô dão pontapé inicial na final do Pernambucano

O primeiro capítulo da final do Campeonato Pernambucano 2022 será escrito durante a tarde desta quinta (21). Neste feriado de Tiradentes, Náutico e Retrô se enfrentam, às 16h30, nos Aflitos, naquela que é a quarta decisão inédita do Estadual neste século. Dono da melhor campanha da primeira fase, a Fênix tentará conquistar a taça pela primeira vez em sua curta história, após vencer o Salgueiro na semifinal. Já o Timbu, campeão em 2021, buscará o bicampeonato depois de 20 anos, além de seu 24º título da competição. Na fase anterior, o Alvirrubro eliminou o Santa Cruz.

Esta será apenas a quarta vez que Náutico e Retrô se enfrentam. O retrospecto, aliás, é de equilíbrio. Na estreia do time de Camaragibe no Estadual, em 2020, placar de 2×2 no palco do encontro de logo mais. Ano passado, entretanto, com gols de Jean Carlos, Kieza, Vinícius e Bryan, o Timbu aplicou uma sonora goleada, na Arena, por 4×1, na caminhada rumo ao título. Já neste ano, pela primeira fase, deu Fênix. A vitória por 2×1 nos Aflitos deu início a uma crise no adversário, com direito a confusão entre torcedores e jogadores do Náutico, além de culminar na saída de Hélio dos Anjos.

Para o encontro, a expectativa é de casa cheia nos Aflitos. Até a tarde de quarta-feira, o Náutico informou que 10 mil ingressos haviam sido comercializados para a partida que marcará a estreia do técnico Roberto Fernandes no comando do clube. Anunciado depois da derrota alivrrubra para o Bahia, o treinador teve pouco tempo para dar sua cara ao time e não escondeu estar em “desvantagem” em relação a Dico Woolley. Até por isso, Fernandes não deve realizar tantas mudanças na formação que vinha sendo acionada por Felipe Conceição. As únicas modificações devem ser as entradas do zagueiro Carlão e do atacante Leandro Carvalho.

Do lado visitante, além de vencer o Alvirrubro na temporada, o Retrô também bateu Sport e Santa. Entretanto, apesar dos feitos, a diretoria trata a final perante o Náutico como uma competição a parte. Até encarar o Salgueiro, na semifinal, o líder da primeira fase ficou quase um mês sem entrar em campo. No último final de semana, aproveitou a estreia na Série D para que os jogadores ganhassem ritmo de olho na final. 

Mesmo sem esconder que o favoritismo está do lado maior da história, o Azulão se apega ao bom momento para surpreender e faturar o título. Ademais, conta com uma peça chave para ficar com o troféu: Renato Henrique. Revelado pelo Timbu, o camisa 10 é o artilheiro do Estadual com sete gols e vive grande fase. 

Folha de Pernambuco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.