17°C 29°C
Itapetim, PE
Publicidade

Alepe lança campanha para marcar o mês de prevenção ao suícidio

Atividades começam na terça (19) com o lançamento da campanha "Estamos com Você".

19/09/2023 às 08h09
Por: Euflávio Nunes
Compartilhe:
Alepe lança campanha para marcar o mês de prevenção ao suícidio

Mês dedicado à prevenção do suicídio, o "Setembro Amarelo" terá programação especial na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), promovida pela Superintendência de Saúde e Medicina Ocupacional. As atividades começam na terça (19) com o lançamento da campanha "Estamos com Você". A iniciativa visa chamar a atenção de servidores e da população em geral para o problema e a necessidade de cuidar da saúde mental.

A programação inclui palestras, oficinas voltadas para motivação pessoal e profissional e de combate à ansiedade, além de práticas integrativas para promoção do bem-estar. Atividades de integração aplicadas por uma equipe multidisciplinar da Superintendência de Saúde, formada por psicólogos, fonoaudiólogos e fisioterapeutas, darão início à programação, na terça-feira (19). A ideia é mobilizar todos os setores da Alepe em torno da participação e importância do evento.

Continua após a publicidade

Para o presidente da Alepe, deputado Álvaro Porto, é preciso a união de todos para tratar de um tema desafiador, mas necessário como o das doenças mentais. “Trata-se de um tema delicado, mas urgente, que exige o estímulo ao autocuidado e ao cuidado com o outro. As ações do Setembro Amarelo desenvolvidas pela Superintendência de Saúde da Casa, voltadas para a prevenção ao suicídio e ao adoecimento mental, contam com total apoio da Mesa Diretora. É fundamental que as pessoas que enfrentam algum tipo de angústia e conflitos de ordem emocional compreendam que é importante pedir ajuda para que sejam acolhidas e tenham acompanhamento profissional”, afirmou Porto.

Segundo o primeiro secretário da Casa, deputado Gustavo Gouveia,
o Setembro Amarelo é necessário para falar sobre a saúde mental e os sinais que podem ser lidos quando alguém precisa de ajuda. “Por isso, devemos respeitar a dor do outro, escutar e acolher. Nessas situações, agir pode salvar vidas. Seguiremos engajados, não só durante o mês de setembro, mas no restante do ano, em direcionar políticas públicas de combate ao suicídio”, informou Gouveia.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias