16°C 29°C
Itapetim, PE
Publicidade

Advogado denuncia ter sido agredido e expulso de sala de depoimento por delegado

OAB realizou ato de desagravo.

06/07/2024 às 10h12 Atualizada em 06/07/2024 às 10h25
Por: Euflávio Nunes Fonte: G1 Caruaru
Compartilhe:
Advogado denuncia ter sido agredido e expulso de sala de depoimento por delegado

Um advogado do Recife denunciou ter sido agredido pelo delegado da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas, Luiz Alberto Braga, enquanto atuava na defesa de um homem que havia sido preso, após ser contratado pela esposa do suspeito.

O caso, segundo o advogado Diego Ugietti, aconteceu no dia 8 de maio. Ele afirmou que, com o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco (OAB-PE), prestou queixa contra o delegado e denunciou a ocorrência à Corregedoria da Polícia Civil.

Continua após a publicidade

Nesta sexta (5), a OAB-PE realizou um ato de desagravo ao advogado Diego Ugietti - para “restabelecer a dignidade” do profissional, que teve as prerrogativas da profissão violadas, de acordo com a entidade.

Ugietti relatou que foi chamado pela esposa de um suspeito que havia sido preso por roubo de carga para defender o marido dela e se dirigiu à delegacia para tomar ciência do caso. “Cheguei e fui atendido pelo comissário. Estava aguardando para falar com o delegado quando ele chegou e disse que queria ouvir a esposa do cliente. Pedi para que ele esclarecesse se era como testemunha, se seria um interrogatório, perguntei em que condições ele iria ouvi-la, e disse que seria preciso registrar que ela tinha o direito de permanecer em silêncio”, afirmou.

Segundo o advogado, depois desse momento, o delegado disse que, se a mulher não falasse, seria presa. “Depois de ele dizer que prenderia a esposa do suspeito se ela não falasse, eu protestei contra a situação e disse que estava acontecendo uma conduta abusiva. Foi quando o delegado Luiz Alberto Braga bateu na mesa, me agrediu verbalmente e disse que, se eu não ficasse calado, iria me retirar da sala. Eu protestei de novo. Foi então que ele levantou, me deu um tapa no peito, me puxou pela beca, me enxotou da sala e continuou ouvindo a mulher sozinho”, contou Ugietti.

De acordo com ele, a mulher contou que o delegado a ameaçou e queria que ela dissesse a senha do celular do marido. Após deixar a Delegacia de Roubos de Cargas, Diego Ugietti pediu o apoio da OAB e registrou queixa na Delegacia de Plantões e na Corregedoria da Polícia Civil. “Essa não é uma conduta comum dos delegados de Pernambuco. Sempre fui bem tratado e sei que essa é uma exceção. Depois de me expulsar da sala, ele continuou a oitiva sem a presença do advogado. Essa conduta de convocar parentes informalmente, de amedrontar os familiares para conseguir informações, é uma prática abusiva. Não esperava que acontecesse na presença de um advogado. Fiquei assustado. Ele colocou a mão na cintura, colocou a mão no coldre [estojo para revólver]”, contou Diego Ugietti.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias