PEC do voto impresso é rejeitada pela Câmara dos Deputados

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 135/19, a PEC do voto impresso, foi rejeitada em votação no plenário da Câmara dos Deputados na noite desta terça (10), por 218 votos contrários, 229 favoráveis e uma abstenção. A medida, que tornaria obrigatória impressão do voto depositado nas urnas eletrônicas, necessitava de maioria qualificada, com, ao menos, 308 sufrágios favoráveis.

Grande parte das bancadas orientaram seus membros a votarem contra a aprovação, com exceção do PSL, Solidariedade e Podemos. Liberaram os parlamentares para qualquer uma das opções o PP, o Novo, o Patriota e o grupo formado por PSC, PROS e PTB. A bancada da maioria liberou seus membros e, a minoria, junto à oposição, orientaram o voto contra. A base governista orientou aprovação.

A votação ocorreu mesmo após a PEC ter sido rejeitada por 22 votos a 11 em comissão especial na última sexta-feira (6). O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP), argumentou que levaria a proposta a plenário, o que é incomum após rejeição em comissão especial, porque que a disputa entre Poderes da República em relação à proposta havia ido “longe demais” e que pautaria o texto para dar um fim “democrático” à discussão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *