Presos suspeitos de matar universitário itapetinense durante assalto em Recife

G1 PE

Pouco depois do assassinato de um universitário que reagiu a um assalto, na Madalena, na Zona Oeste do Recife, nesta quinta (11), dois suspeitos foram presos. A irmã da vítima, que presenciou o crime, afirmou que ele levou um tiro. “Era a única pessoa que eu tinha aqui”, disse.

O crime ocorreu por volta das 13h30. Pedro Henrique Gonçalves da Silva, de 24 anos, e a irmã dele, de 20 anos, que também é estudante, estavam indo para um mercado. Logo depois de sair de casa, eles foram abordados por dois bandidos, em uma moto. O rapaz foi atingido no pescoço.

O corpo estava na rua, protegido por uma sombrinha, quando a polícia chegou ao local. “Acho que a ambulância demorou”, disse a irmã da vítima, que preferiu não ser identificada.

Segundo a Polícia Militar, as prisões ocorreram em San Martin, na mesma região do Recife. As equipes também apreenderam uma arma de fogo e a moto usada no crime. Os PMs encontraram o celular roubado.

A polícia chegou aos suspeitos a partir do número da placa da moto. Foi possível observar a numeração do veículo por meio das câmeras de segurança da via. Além dos dois suspeitos, foram levadas para averiguações mais duas pessoas. Elas são suspeitas de envolvimento no crime. A irmã de Pedro Henrique foi convocada para prestar depoimento. A operação foi realizada por equipes do 13º Batalhão da PM. Os dois suspeitos foram levados para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na mesma região da cidade.

Pedro e a irmã vieram para o Recife de Itapetim, no Sertão de Pernambuco. Eles chegaram à capital há dois anos para estudar educação física em uma universidade particular. “Só quem está sabendo o que aconteceu é meu pai, lá no interior. Não conheço mais gente aqui, só um amigo que vai me ajudar agora. Meu irmão queria ir visitar os meus pais, agora, após a formatura”, comentou. A jovem relatou que tudo aconteceu muito rápido. “A gente estava na calçada, perto da esquina. A moto veio em silêncio e a gente não viu”, contou.

Atestemunha relatou também que o bandido que pilotava a moto estava de capacete, mas o outro estava sem proteção. “Quando eu olhei, um já estava com a arma na mão. Eles pediram os celulares várias vezes. Eu entreguei, mas meu irmão não quis dar o telefone e ainda tentou pegar a arma”, afirmou.

No local do crime, os vizinhos dos irmãos ficaram assustados com a morte de Pedro Henrique. Uma mulher que acompanhou tudo contou que só conseguiu consolar a irmã dele. “Foi um desespero muito grande”, declarou.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.